Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1843/36575
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Gilberto de Assis Libâniopt_BR
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7676243348672492pt_BR
dc.contributor.advisor-co1Débora Freire Cardosopt_BR
dc.contributor.referee1Fabrício José Missiopt_BR
dc.contributor.referee2Gustavo de Britto Rochapt_BR
dc.contributor.referee3Fábio Neves Perácio de Freitaspt_BR
dc.contributor.referee4Fernando Monteiro Rugitskypt_BR
dc.creatorJuliana Rodrigues Vieirapt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8369775579902678pt_BR
dc.date.accessioned2021-06-25T15:59:48Z-
dc.date.available2021-06-25T15:59:48Z-
dc.date.issued2021-02-25-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1843/36575-
dc.description.abstractThis thesis analyzes the relationship between the income distribution and growth, in order to understand the extent to which changes in income distribution are capable of altering or even sustaining an economic growth´s trajectory. In other words, the objective of this work is to understand why the improvement in the distribution structure, verified in this period, was insufficient to stimulate or sustain economic growth. Thereby, this thesis turns to aspects related to the productive structure and the financial system. With respect to the productive structure, the purpose of the research is to understand the impact of changes in the distribution of income on the productive structure, in order to map the sectors of economic activity most fostered by this stimulus, as well as its role on economic growth and income distribution. With regard to the financial system, the research aims to explore the relationship between improved income distribution and access to the financial system, in order to capture the influence of this sector on the performance of the economy. Thus, in order to answer the questions mentioned above, the thesis is based on the idea that the distribution of income not only stems from the growth trajectory of the economy, but also interferes with it and, in this sense, it consists of a limiter or enhancer of growth, being able, therefore, to change its trajectory – from the productive structure and financial system. The conduct of this study is based on the Social Accounting Multipliers. The results suggest that the Brazilian´s production structure has weaknesses that acted to dissipate, or even eliminate, the gains from an improvement in income distribution and, consequently, limit economic growth. This configuration materializes from ever smaller increments in GDP, resulting from exogenous shocks in demand from the sectors, over the period analyzed - a result that triggers the existence of a feedback mechanism, which limits economic growth. The results also show that the exogenous improvements in income distribution, in the period analyzed, were insufficient to break with this dynamic. The analysis of the financial multipliers, in turn, showed that the financial sector, in this period, contributed to stimulate the economic growth and income of the agents. However, this sector also contributed to stimulated income inequality. In this sense, these analyzes demonstrate that the improvement in the income distribution presented positive effects to the economic growth in the analyzed period. However, despite its importance, the results suggest that this improvement was still insufficient to break with the limitations present in the productive structure, which have made it difficult to achieve a sustainable growth rate over time.pt_BR
dc.description.resumoEsta tese analisa a relação entre distribuição de renda e crescimento econômico, de sorte a compreender em que medida alterações na distribuição de renda são capazes de alterar ou, até mesmo, sustentar, uma trajetória de crescimento da economia. Em outras palavras, o objetivo deste trabalho consiste em compreender o motivo pelo qual a melhora na estrutura distributiva, verificada nesse período, foi insuficiente para estimular ou sustentar o crescimento econômico. Para tanto, esta tese se volta para aspectos referentes à estrutura produtiva e ao sistema financeiro. Assim, no que diz respeito à estrutura produtiva, o intuito da pesquisa consiste em compreender o impacto de alterações na distribuição de renda sobre a estrutura produtiva, de sorte a mapear os setores de atividade econômica mais fomentados por esse estímulo, bem como seu papel sobre o crescimento econômico e distribuição de renda. No que concerne ao sistema financeiro, a pesquisa destina-se a explorar a relação entre a melhora na distribuição de renda e acesso ao sistema financeiro, de sorte a captar a influência desse setor, de um modo geral, e mais especificamente, do grau de endividamento das famílias, sobre o desempenho da economia. Assim, com vistas a responder aos questionamentos acima apontados, a tese se baseia na ideia de que a distribuição de renda não apenas decorre da trajetória de crescimento da economia, mas também interfere nela e, nesse sentido, ela consiste em um limitador ou potencializador do crescimento, sendo capaz, portanto, de alterar sua trajetória – via estrutura produtiva e sistema financeiro. A condução desse estudo se baseia nos Multiplicadores de Contabilidade Social. Os resultados sugerem que a estrutura produtiva da economia brasileira apresenta gargalos que agiram no sentido de minimizar os ganhos provenientes de uma melhora na distribuição de renda e, consequentemente, limitar o crescimento econômico. Essa configuração se materializou a partir de incrementos cada vez menores no PIB, decorrentes de choques exógenos na demanda dos setores, ao longo do período analisado – resultado que deflagra a existência de um mecanismo de retroalimentação, o qual dificulta, cada vez mais, o crescimento econômico. E, nesse sentido, os resultados mostram que as melhorias exógenas na distribuição de renda, no período analisado, foram insuficientes para romper com essa dinâmica. A análise dos multiplicadores financeiros, por sua vez, mostrou que o setor financeiro, nesse período, contribuiu para estimular o crescimento econômico e a renda dos agentes. Contudo, ele também contribuiu para estimular a desigualdade de renda. Nesse sentido, essas análises demonstram que a melhora na distribuição de renda apresentou estímulos positivos ao crescimento econômico no período analisado. Contudo, a despeito de sua importância, os resultados sugerem que essa melhora foi ainda insuficiente para romper com as limitações presentes na estrutura produtiva, as quais dificultaram o alcance de uma taxa de crescimento sustentável ao longo do tempo.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Minas Geraispt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFCE - DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICASpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Economiapt_BR
dc.publisher.initialsUFMGpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectDistribuição de Rendapt_BR
dc.subjectCrescimento Econômicopt_BR
dc.subjectEstrutura Produtivapt_BR
dc.subjectSistema Financeiropt_BR
dc.subject.otherRendapt_BR
dc.subject.otherDistribuiçãopt_BR
dc.subject.otherDesenvolvimento econômicopt_BR
dc.subject.otherMercado financeiropt_BR
dc.subject.otherBrasilpt_BR
dc.titleCrescimento econômico e distribuição de renda: uma análise a partir das matrizes de contabilidade social e financeira para a economia brasileirapt_BR
dc.typeTesept_BR
Appears in Collections:Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Juliana Rodrigues Vieira.pdf3.15 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.