Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1843/BUBD-9VNGNF
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Vitor Geraldi Haasept_BR
dc.contributor.advisor-co1Jorge Andrade Pintopt_BR
dc.creatorVirginia Nunes Vianapt_BR
dc.date.accessioned2019-08-14T11:49:47Z-
dc.date.available2019-08-14T11:49:47Z-
dc.date.issued2014-08-01pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1843/BUBD-9VNGNF-
dc.description.abstractTo ensure the effectiveness of antiretroviral therapy, high levels of treatment adherence are needed for obtaining a virological and/or immunological response and to delay the disease progression in the long term. Without proper adhesion, antiretrovirals (ARVs) aren't kept in sufficient concentration to suppress HIV replication in infected cells and to reduce plasma viremia. Poor adherence to ARV medication is not only associated with shortened immune response, but also induces drug resistance and increases the risk of treatment failure and the disease progression. Although an ideal level of ART adherence is not defined, adherence to medication below 95% is related to a worse immunological and virological response. Thus, an intervention program was conducted to provide adherence to antiretroviral medication in young adult patients, called "Use of mobile phone messaging to promote adherence to antiretroviral therapy in adolescents and young adults infected with HIV-1". The objective of this study was to investigate the influencing factors to antiretroviral medication of the program participants. The study included 22 participants from the clinical group, aged 13-33 years (mean= 21.18 and SD= 6.16) and 44 participants (mean= 21.02 and SD= 6.40) from the control group, which comprised health persons matching age, education and type of school. Correlations between cognitive deficits and the usage behavior were observed, specially in executive function tasks . It was found that the presence of symptoms and/or psychiatric comorbidities correlates with the use of NOPA, the interaction with the application and the post-intervention adhesion percentage. Also, internalized and externalized symptoms correlate negatively, moderated and statistically significantly with the reported adherence to antiretroviral. Correlation between personality traits and the use of NOPA was also found, in a way that the socialization traits and extroversion correlated with positive and meaningful adherence behaviors. It can be concluded that among the factors involved in antiretroviral medication adherence, mild cognitive impairment does not interfere significantly, while psychiatric symptoms and personality characteristics may interfere more significantly in the adherence.pt_BR
dc.description.resumoA eficácia da terapia antirretroviral depende de altos níveis de adesão ao tratamento para a obtenção da resposta virológica e/ou imunológica e atraso na progressão da doença a longo prazo em paciente infectados pelo HIV. Embora não seja definido o nível ideal de adesão ao TARV, um nível abaixo de 95% de adesão têm relação com uma pior resposta imunológica e virológica. Deste modo, foi realizado um programa de intervenção para promover a adesão a medicação antirretroviral em pacientes adolescentes e jovens adultos, denominado: Utilização de sistema de mensagem via celular para promoção de adesão à terapia antirretroviral em adolescentes e jovens adultos infectados pelo HIV-1. O objetivo deste trabalho foi investigar os fatores psicológicos relacionados a adesão a medicação antirretroviral dos participantes deste estudo. Participaram deste estudo 22 pessoas que compunham o grupo clínico, com idades de 13 a 33 anos (média= 21,18 e dp: 6,16) e 44 pessoas (média=21,02 e dp=6,40) que compunham o grupo controle pareado por idade, escolaridade e tipo de escola, ufcsado somente para identificar a presença de déficit cognitivo na amostra estudada. Na análise estatística foram feitas análises de correlações e o teste de Wilconxon. Verificou-se a que a presença de sintomas e/ou comorbidades psiquiátricas se correlacionou com a utilização do NOPA, entre as interações do aplicativo e a adesão percentual pós intervenção. Os sintomas internalizantes e externalizantes se correlacionam de maneira negativa, moderada e estatisticamente significativa com a adesão relatada da medicação antirretroviral. Os déficits cognitivos, principalmente atencionais se correlacionaram de maneira moderada, negativa e estatisticamente significativa com a adesão ao aplicativo NOPA. Também foram encontradas correlações entre traço de personalidade e a utilização do NOPA, os traços de socialização e extroversão se correlacionaram de maneira positivas e significativas do comportamento de adesão. Em resumo conclui-se que as características de personalidade, tais como, socialização e extroversão, podem ser bons determinantes de boa adesão à medicação antirretroviral. E os sintomas psiquiátricos e déficits atencionais podem ser indicativos de má adesão à medicação antirretroviral.pt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Minas Geraispt_BR
dc.publisher.initialsUFMGpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectSintomas psiquiátricospt_BR
dc.subjectAdesão à medicação antirretroviralpt_BR
dc.subjectAvaliação neuropsicológicapt_BR
dc.subjectPersonalidadept_BR
dc.subject.otherNokia Peer Adherept_BR
dc.subject.otherDeterminação da personalidadept_BR
dc.subject.otherNeurociênciaspt_BR
dc.subject.otherAvaliação neuropsicológicapt_BR
dc.subject.otherSintomas psíquicospt_BR
dc.subject.otherAntirretrovirais/uso terapeuticopt_BR
dc.titleInvestigação dos aspectos psicológicos da adesão à medicação antirretroviral em pacientes em uso do aplicativo de celular NOPApt_BR
dc.typeDissertação de Mestradopt_BR
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.