Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/1843/BUBD-A9GLDZ
Tipo: Tese de Doutorado
Título: O momento-limite conceitual: um estudo sobre as implicações sociais e subjetivas do saber na passagem adolescente
Autor(es): Daniela Teixeira Dutra Viola
Primeiro Orientador: Angela Maria Resende Vorcaro
Primeiro membro da banca : Ana Maria Medeiros da Costa
Segundo membro da banca: Roselene Ricachenevsky Gurski
Terceiro membro da banca: Marcelo Ricardo Pereira
Quarto membro da banca: Nadia Laguardia de Lima
Resumo: Esta pesquisa investiga as relações do sujeito com o saber na adolescência a partir do aporte teórico da psicanálise, sobretudo das obras de Freud e de Lacan. Instigadas pela evidência clínica de que nessa fase as questões concernentes ao saber comparecem de modo determinante, intentamos demonstrar como esse elemento pode ser operatório nessa transição seja o saber manifesto, transmissível, que abrange o campo do pensamento, o conhecimento e a informação, seja o não saber diante da sexualidade, que irrompe de modo pungente com o despertar pubertário. Partimos da conexão, estabelecida por Lacan (1962-1963a/2005), entre a maturação do objeto a na puberdade e o acesso à formação dos conceitos. A articulação lógica entre uma transformação essencial no âmbito do pensamento e a emergência de um vazio é associada por Lacan ao momento-limite conceitual. Essa formulação é o suporte teórico de nossa pesquisa, que rastreamos, juntamente do tema do saber, na obra desse autor. Nosso percurso segue por dois caminhos que se entrecruzam: pela análise da construção sintomática da adolescência nos discursos e pelo contornamento do real da puberdade que incide sobre os corpos. A adolescência é o tratamento simbólico do real que sobrevém na puberdade. Como operação de reinscrição simbólica indissociável da experiência social, varia de acordo com as diferentes formas de sociabilidade. Assim, para compreender essa operação, é necessário considerar a transição à idade adulta em diferentes sistemas sociais, o que realizamos através de uma pesquisa histórica e de uma incursão na Antropologia. Constatamos que em grande parte das sociedades tradicionais não há propriamente adolescência, e a transição é operada por mecanismos prescritos pela cultura, especialmente os ritos de passagem, que funcionam como balizadores simbólicos. As sociedades modernas e hipermodernas não contam com esse instrumental. Recorremos, então, à perspectiva psicanalítica, desde o encontro inaugural de Freud com algumas adolescentes até os desafios da adolescência contemporânea perante a pulverização das referências simbólicas, a fim de compreender o valor do saber e do pensamento conceitual como instrumentos que podem ser operatórios nessa travessia. Propomos, por fim, uma análise do momento-limite conceitual como ponto de inflexão que pode viabilizar a abertura de um caminho possível, singular, para o túnel da adolescênci
Abstract: This research investigates the subject's relationship with the knowledge in adolescence, from the theoretical contribution of psychoanalysis, especially the works of Freud and Lacan. Instigated by the clinical evidence that at this stage the issues related to knowledge appear so decisively, we intend to demonstrate how this element may be operative in this transition wether the manifest knowledge, transmissible, that covers the field of thought and information, or the non-knowledge in the face of sexuality, which erupts so pungently with the pubertal awakening. We start from the connection, established by Lacan (1962-1963), between the maturation of the object a in puberty and the access to the concepts formation. The logical articulation between an essential transformation within the thought scope and the emergence of an emptiness is associated by Lacan to the conceptual moment-limit. This formulation is the theoretical support of our research, which we tracked, along with the theme of the knowledge, in the work of this author. Our route follows two paths that intertwine: the analysis of the symptomatic construction of adolescence in the speeches and the circumvention of the real of puberty that reflects on the bodies. Adolescence is the symbolic treatment of the real that supervenes in puberty. As an operation of inextricable symbolic reinstatement of the social experience, it varies according to the different forms of sociability. Therefore, it is necessary to consider the transition to adulthood in different social systems, which we have accomplished through a historical research and an incursion in anthropology. We found that in great part of traditional societies there is not exactly adolescence, and the transition is operated by mechanisms prescribed by the culture, especially the rites of passage, that function as symbolic underpinnings. Modern and hypermodern societies don't count with this instrument. We turn, then, to the psychoanalytic perspective, since Freud's inaugural meeting with some teenage girls up to the challenges of contemporary adolescence before the spraying of the symbolic references, in order to understand the value of knowledge and conceptual thought as instruments that can be operative in this crossing. Finally, we propose an analysis of the conceptual moment-limit time as inflection point that can facilitate the opening of a singular, possible path for the tunnel of adolescence.
Assunto: Puberdade
Adolescência
Psicologia
Idioma: Português
Editor: Universidade Federal de Minas Gerais
Sigla da Instituição: UFMG
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/1843/BUBD-A9GLDZ
Data do documento: 24-Fev-2016
Aparece nas coleções:Teses de Doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_daniela_viola.pdf2.25 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador