Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1843/36008
Type: Monografia (especialização)
Title: “Nise, o coração da loucura”: reflexões sobre o filme e inspirações para uma necessária reforma obstétrica no Brasil
Other Titles: “Nise, the heart of madness”: reflections on films and inspirations for an obstetric reform in Brazil
Authors: EMANUELLE CRISTINA COELHO
First Advisor: Kleyde Ventura de Souza
First Referee: Erica Dumont Pena
Second Referee: Ana Luiza Nunes Abreu
Abstract: O filme “Nise, o coração da loucura” aborda o trabalho de Nise da Silveira iniciado em 1944 no Hospital Psiquiátrico Pedro II, no Rio de Janeiro, momento em que ela retoma o exercício de sua função como psiquiatra na instituição. Seu regresso ao trabalho é marcado por espanto quando se depara com procedimentos considerados inovadores, comumente realizados à época na prática psiquiátrica, mas que desrespeitavam o paciente como ser humano (eletroconvulsoterapia, choque insulínico e lobotomia), os quais ela veementemente discordava, e que por seu protagonismo, mais tarde foi reconhecido como anti-psiquiatria. No mesmo período, o cenário brasileiro de atenção obstétrica também apresentava marcas dessa lógica medicalizante percebia-se a crescente institucionalização do parto. Nesse contexto, o parto como evento fisiológico passou a ser entendido como patológico, com consequente privação da liberdade, autonomia e protagonismo da mulher, utilização acrítica de procedimentos invasivos, muitos deles desnecessários e realizados de forma rotineira. A transição para o modelo tecnocrático não foi um processo passivo, nem baseado em alguma evidência de que o parto controlado pela medicina era mais seguro para mães ou bebês. A alta taxa de mortalidade infantil no Brasil, a morte materna e o alto índice de mortes infantis evitáveis tem sido relacionados como consequência de intervenções em excesso ou desnecessárias no parto. A partir da década de 1990, a atenção ao parto e nascimento tem passado por transformações, sendo pauta da agenda política de saúde brasileira. Em resposta à esta mobilização e a insatisfação de muitas mulheres com a concepção biomédica, uma crescente demanda por humanização e reapropriação de nascimentos é observada. Na tentativa de reduzir a mortalidade materna e perinatal, garantir melhoria de qualidade, universalidade e humanização da assistência à gravidez, parto e puerpério; uma das estratégias do Ministério da Saúde foi incentivar e financiar a formação de enfermeiras obstetras. Este estudo tem como objetivo refletir sobre as semelhanças percebidas pela autora entre a atenção psiquiátrica protagonizada por Nise da Silveira no filme “Nise: o coração da loucura” e a atenção obstétrica brasileira e a influência desta experiência em seu processo de formação no Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica - Modalidade Residência. Trata-se de um artigo teórico-reflexivo, realizado por meio de leitura crítica e interpretação da autora, a partir do filme “Nise: o coração da loucura”, sobre as mudanças nos paradigmas na assistência psiquiátrica e na assistência obstétrica e os desafios para uma atenção humanizada, que evoluíram ou tem evoluído para uma forma mais respeitosa, com práticas alternativas e complementares em saúde. A construção deste artigo permitiu conhecer uma fase importante da trajetória profissional de Nise da Silveira, suas contribuições não só para a atenção psiquiátrica mas principalmente para Reforma Psiquiátrica brasileira. Possibilitou também uma aproximação com momentos importantes na história da Enfermagem Obstétrica no Brasil, como o modelo de atenção obstétrica vem evoluindo e a importância no processo de formação em Enfermagem Obstétrica nesse contexto.
Abstract: The film “Nise, the heart of madness” addresses the work of Nise da Silveira started in 1944 at the Hospital Psiquiátrico Pedro II, in Rio de Janeiro, when she resumed her role as a psychiatrist at the institution. Her return to work is marked by amazement when she is faced with procedures considered innovative, commonly performed at the time in psychiatric practice, but which disrespected the patient as a human being (electroconvulsive therapy, insulin shock and lobotomy), which she strongly disagreed with, and which its leading role was later recognized as anti-psychiatry. In the same period, the Brazilian scenario of obstetric care also showed signs of this medicalizing logic, there was a growing institutionalization of childbirth. In this context, childbirth as a physiological event came to be understood as pathological, with consequent deprivation of freedom, autonomy and protagonism for women, uncritical use of invasive procedures, many of them unnecessary and performed routinely. The transition to the technocratic model was not a passive process, nor was it based on any evidence that medical-controlled delivery was safer for mothers or babies. The high rate of infant mortality in Brazil, maternal death and the high rate of preventable infant deaths have been linked as a result of excessive or unnecessary interventions in childbirth. Since the 1990s, attention to childbirth and birth has undergone transformations, being on the agenda of the Brazilian health policy agenda. In response to this mobilization and the dissatisfaction of many women with the biomedical conception, an increasing demand for humanization and reappropriation of births is observed. In an attempt to reduce maternal and perinatal mortality, ensure improved quality, universality and humanization of care for pregnancy, childbirth and the puerperium; one of the Ministry of Health's strategies was to encourage and finance the training of obstetric nurses. This study aims to reflect on the similarities perceived by the author between the psychiatric care starring Nise da Silveira in the film “Nise: the heart of madness”, the Brazilian obstetric care and the influence of this experience in her training process in the Specialization Course in Obstetric Nursing - Residence Modality. This is a theoretical-reflective article, carried out through critical reading and interpretation by the author, based on the film “Nise: the heart of madness”, about the changes in paradigms in psychiatric care and obstetric care and the challenges for humanized care, which has evolved or has evolved to a more respectful way, with alternative and complementary health practices. The construction of this article allowed to know an important phase of Nise da Silveira's professional trajectory, her contributions not only for psychiatric care but mainly for Brazilian Psychiatric Reform. It also made it possible to approach important moments in the history of Obstetric Nursing in Brazil, how the obstetric care model has been evolving and the importance in the training process in Obstetric Nursing in this context.
Subject: Reforma dos Serviços de Saúde
Saúde mental
Enfermagem Obstétrica/história
Parto
Institucionalização
Dissertação Acadêmica
language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Minas Gerais
Publisher Initials: UFMG
metadata.dc.publisher.department: ENF - DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM MATERNO INFANTIL E SAÚDE PÚBLICA
metadata.dc.publisher.program: Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica - Modalidade Residência
Rights: Acesso Aberto
metadata.dc.rights.uri: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/pt/
URI: http://hdl.handle.net/1843/36008
Issue Date: 4-Jun-2020
Appears in Collections:Especialização em Enfermagem Obstétrica - Modalidade Residência

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia Emanuelle Coelho - Reflexão Filme Nise.pdf2.21 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons