Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1843/BUBD-92QHZ6
metadata.dc.type: Dissertação de Mestrado
Title: Reação imunoenzimática no diagnóstico e controle do envenenamento pela picada de serpentes peçonhentas brasileiras
metadata.dc.creator: Claudia Silva Lopes
metadata.dc.contributor.advisor1: Carlos Ribeiro Diniz
metadata.dc.contributor.advisor2: Carlos Delfin Chavez Olortegui
metadata.dc.contributor.referee1: Luis Carlos Crocco Afonso
metadata.dc.contributor.referee2: Cristiano Machado Gontijo
metadata.dc.description.resumo: Desenvolveu-se neste trabalho, um ensaio imunoenzimático (ELISA) que permite detectar, diferenciar e quantificar antígenos presentes na peçonha de serpentes da família Crotalidae mais frequentes no território brasileiro, em soro de humanos acidentados por estas serpentes. O ensaio tornou-se realizável utilizando um processo desenvolvido em nosso laboratório onde imunoglobulinas G dos soros de cavalos ou coelhos hiperimunizados com os diferentes venenos: Bothrops spp, Crotalus durissus, Bothrops atrox, Lachesis muta muta e toxinas do veneno crotálico: crotamina e crotoxina, que reconhecem componentes imunologicamente comuns presentes nos venenos de serpentes de diferentes gêneros ou espécie, foram separadas por técnicas de imunoafinidade. Foram obtidas imunoglobulinas G que reconhecem especificamente apenas o veneno de um gênero ou espécie. Estas imunoglobulinas foram utilizadas no método de ELISA -Sanduíche para sensibilização de placas e produção de conjugados. Observou-se ser possível diferenciar (através do ensaio de ELISA) antígenos própriosdas serpentes L. muta muta ou B. atrox (região Amazônia), no sangue de pacientes picados por de cada um destas espécies e assim identificar a serpente responsável pelo acidente. Procedimento idêntico permitiu identificar antígenos das serpentes do gênero Bothrops utilizados para produção do soro antiofídico (especificamente B. jararaca), e diferenciar acidentes provocados por estas serpentes daqueles provocados pelogênero Crotalus. Além disso, permite diferenciar toxinas específicas do veneno crotálico (crotoxina e crotamina). Pelo processo que desenvolvemos, foi possível acompanhar a cinética de neutralização do veneno dos Crotalideos mencionados e estabelecer correlação entrea concentração de antígenos tóxicos presentes no sangue de pacientes e a gravidade do acidente avaliada clinicamente pelos sinais e sintomas observados. Conclui-se que esse método pode ser útil a médicos e epidemiologistas no diagnóstico e tratamento dos acidentes ofídicos e no estudo dos mecanismos de ação dos venenos em animais inoculados experimentalmente.
metadata.dc.subject.other: Bioquímica e imunologia
metadata.dc.language: Português
Publisher: Universidade Federal de Minas Gerais
metadata.dc.publisher.initials: UFMG
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/1843/BUBD-92QHZ6
Issue Date: 25-Oct-1995
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
disserta__o_de_mestrado_cl_udia_lopes_penaforte_1995_numero_237.pdf725.81 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.