Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1843/TMCB-7Y3L8N
metadata.dc.type: Dissertação de Mestrado
Title: As especificidades da comunidade religiosa: pessoa e comunidade na obra de Edith Stein
metadata.dc.creator: Achilles Goncalves Coelho Junior
metadata.dc.contributor.advisor1: Miguel Mahfoud
metadata.dc.contributor.referee1: Jose Paulo Giovanetti
metadata.dc.contributor.referee2: Marília Ancona Lopez
metadata.dc.description.resumo: O objetivo geral da pesquisa é identificar os aspectos essenciais do ser comunidade, do ser pessoa e a relação entre eles, explicitando a especificidade das comunidades religiosas quanto ao processo de tornarem-se si mesmas da pessoa e da comunidade, a partir da obra de Edith Stein. Trata-se de uma pesquisa teórica onde, após uma revisão de como a relação pessoa e comunidade vem sendo discutida na Psicologia Social, realizamos um extenso levantamento de como Edith Stein discute este tema, ressaltando suas contribuições específicas e inserindo-as no diálogo atual da Psicologia. Identificamos três principais perspectivas discutidas na Psicologia Social: (a) individualismo, (b) sociologismo e (c) interacionismo. Inserida na perspectiva do interacionismo, Edith Stein inicia a análise fenomenológica a partir das vivências da pessoa e, apreendendo os diferentes tipos de vivências, identifica aspectos da estrutura da pessoa que são mobilizados no encontro com os objetos. Assim, corporeidade, psique e espírito, compõem a estrutura da pessoa humana de forma organicamente relacionada, sendo que esta mesma estrutura universal é mobilizada de maneira distinta no ser homem e no ser mulher. A pessoa vivencia um processo próprio de formação onde recebe da comunidade os elementos que constituem sua personalidade, ao mesmo tempo em que disponibiliza para a comunidade seu ser pessoal, constituindo uma personalidade própria da comunidade, na medida em que acolhe a realidade compartilhada e age a partir de seu centro pessoal. A comunidade é apreendida por Stein, em seus aspectos dinâmicos, através da maneira como seus membros se reconhecem enquanto pessoas, acolhendo posicionamento uns dos outros e respondendo a estes, a solidariedade é identificada como uma vivência comunitária essencial. A vivência religiosa, identificada enquanto senso religioso e conhecimento natural de Deus, fé e experiência mística, mobiliza de forma específica a estrutura da pessoa, provocando uma atenção à realidade, uma posição de abertura da razão e o despertar de um caminho rumo ao centro pessoal. A pessoa libertada, aquela que vive a partir da dinâmica da experiência religiosa, ao mesmo tempo que acolhe o mundo em si, acolhe também os valores religiosos e, a partir do seu íntimo, responde à realidade e à Deus simultaneamente. Características específicas da comunidade religiosa foram identificadas: (a) reconhecimento da humanidade como comunidade religiosa potencial; (b) servir a Deus através da vida comunitária; (c) missão da comunidade e da pessoa conferidas por Deus; (d) liberdade e responsabilidade recíproca diante do destino comum. A partir das categorias de pessoa libertada, personalidade da comunidade e vivências comunitárias, identificamos algumas contribuições para a discussão da relação pessoa e comunidade feita pela Psicologia Social, apresentando um caminho para superação de dicotomias e para a realização de novos estudos.
Abstract: The general objective of this research is to identify the essential aspects of being a community, and being a person, and the relation between them, showing the particularity of the religious communities about their process of becoming themselves, person and the community, based on Edith Steins work. In this theoretical research, Phenomenology was adopted as the theoreticianmethodological foundation in the data collection and the discussion about them. Carrying through a theoretical survey on the subject of the relation between person and community, as well as discussed in Social Psychology, we identify three main perspectives: (a) individualism, (b) sociologism and (c) interactionism. Inserted in the interactionism perspective, Edith Stein initiates the phenomenological analysis from the experiences of the person and, apprehending the different types of experiences, she identifies aspects of the structure of the person that are mobilized at the relation with objects. Then, own body, psyche and spirit, compose the structure of the human being organically related, but this same universal structure is mobilized in distinct ways at men and women. The person lives an unique process of formation where she receives from the community the elements that constitute her personality, at the same time that the person gives to the community her personal being, constituting a proper personality of the community, while she receives the shared reality and acts based on her personal center. The community is apprehended by Stein, in its dynamic aspects, through the way as its members are recognized while people, accepting others positioning and answering to these, solidarity is identified as an essential communitarian experience. The religious experience, identified as a religious sense and natural knowledge of God, faith and mystic experience, moves the persons structure in a specific way, provoking an attention to the reality, a position of opening to reason and the wakening of a way route to the personal center. The free person, the one who lives based on the dynamics of the religious experience, at the same time that receives the world in herself, she also receives religious values, and from her soul, simultaneously, answers to the reality and to God. Specific characteristics of the religious community had been identified to (a) recognition of the humanity as potential religious community; (b) to serve God through the communitarian life; (c) mission of the community and the person conferred by God; (d) freedom and reciprocal responsibility before the common destination. The categories of free person, communitarian personality of the community and experiences, offer a contribution from Edith Steins work, to the discussion of the relation between person and community made for Social Psychology, showing a way for overcoming the dichotomies and for the accomplishment of new studies.
metadata.dc.subject.other: Comunidades cristã
Teresa Benedita da Cruz, Santa, 1891-1942
Psicologia
metadata.dc.language: Português
Publisher: Universidade Federal de Minas Gerais
metadata.dc.publisher.initials: UFMG
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/1843/TMCB-7Y3L8N
Issue Date: 24-Apr-2006
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
disserta__o_achilles_2006_ufmg.pdf834.81 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

Admin Tools